sábado, março 18, 2006

3ª semana

Comecei a semana com um teatro de fantoches em que a história era:


História: “A formiga trabalhadora”

Narrador: Certa manhã, o céu ficou coberto de nuvens e delas começaram a cair umas bolinhas brancas, era neve!
As montanhas ficaram brancas, estava tanto frio que nem se podia andar na rua.
O vento corria que nem um louco, vergando as árvores nuas, já não tinham as folhinhas para as proteger do frio!
A formiguinha trabalhadora, como habitual, foi buscar uma semente para o seu celeiro de Inverno, mas hoje foi apanhada pelo nevão e o seu pezinho ficou preso na neve. Muito aflita ela pediu á neve:
Formiga: Ó neve, tu és tão forte que o meu pé prende!
Neve: Mais forte que eu é o sol que me derrete!
Narrador: Respondeu a neve!
- Disse a formiga, virando-se para o sol:
Formiga: Óh sol, tu és tão forte que derretes a neve, que o meu pé prende!
Sol: Mais forte do que eu é a nuvem que me tapa!
Narrador: Respondeu o sol.
Formiga: Óh nuvem, tu és tão forte que tapas o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Nuvem: Mais forte que eu é o vento eu me empurra!
Formiga: Óh vento, tu és tão forte que empurras a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Vento: Mais forte que eu é a parede que não me deixa passar!
Formiga: Óh parede, tu és tão forte que não deixas passar o vento, que empurra a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Parede: Mais forte do que eu é o rato que me fura!
Formiga: Óh rato, tu és tão forte que furas a parede, que não deixa passar o vento, que empurra a nuvem que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Rato: Mais forte que eu é o gato que me come!
Formiga: Óh gato, tu és tão forte que comes o rato, que fura a parede, que não deixa passar o vento, que empurra a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Gato: Mais forte que eu é a mulher que me trata!
Formiga: Óh mulher, tu és tão forte, que tratas do gato, que come o rato, que fura a parede, que não deixa passar o vento, que empurra a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve que o meu pé prende!
Narrador: Então a mulher retirou cuidadosamente a patinha da formiga da neve e, assim ela pôde ir para casa!


De seguida, a história foi interpretada e foram realçadas as características referentes ao Inverno.

Foi construído um placar como forma de resumo da história, onde as crianças iam colocar as imagens no local correcto.

Foi construída a arvore referente ao Inverno, as crianças colam bolinhas de papel crepe e pintam a árvore.


Ensinei ainda uma canção sobre o Inverno:


Canção: “Velho”



Velho, velho, velho, chegou o Inverno
Refrão
(bis) Velho, velho, velho, chegou o Inverno


Vem de sobretudo
Vem de cachecol
O chão onde passa
Parece um lençol


Com medo do frio
Encosta-se a nós
Bebe café quente
Senão perde a voz

Esqueceu as luvas
Perto do fogão
Quando as procurou
Roubara-as o cão

De seguida, procedi á dramatização da canção e posteriormente pedi ás crianças para o fazerem.

Levei um jogo de pares sobre o Inverno

E findei a semana com uma actividade em que as crinças tinham de seleccionar apenas imagens de Inverno para posteriormente as recortar e colar numa folha.

Sem comentários: