quinta-feira, outubro 26, 2006

E na minha sétima aula - Páscoa

Já foi algum tempo mas como prometi, aqui está um resumo sobre o que falei na minha sétima aula, a penúltima. Saudades destes tempos...
Houve um pequeno diálogo com as crianças sobre a Primavera, a Água e Páscoa, dizendo que era giro fazer uma história em que falássemos dessas três coisas, ao qual as crianças aceitaram com entusiasmo, de seguida mostrei umas imagens às crianças explorando-as, coloquei-as no chão e pedindo a uma criança de cada vez para pegar numa imagem e a partir dela começar ou continuar a história. Depois das crianças terem inventado a história fizeram um desenho sobre a mesma.
Perguntei quais os animais que apareciam na história, depois mostrei-os explicando o que iriam fazer, decorá-los ao seu gosto, por fim expliquei a borboleta feita com o papel dobrada ao meio, o que as crianças executaram de seguida, divididas por grupos, enquanto umas estavam a fazer os móbiles, outras estavam a fazer a borboleta com o papel e as outras nos cantinhos.
Expliquei que iriam ter um livro para verem quantos dias faltam até à Páscoa, no qual fazem desenhos ou colagens sobre o que fizeram naquele dia.
Fizemos um bolo, Pão-de-ló, e com as cascas dos ovos utlizados fizemos colagens num ovo em papel.
Também fizeram um ovo com grafismos e pintaram ovos de esferovite.
Por fim, fizemos uma caça ao tesouro, escondi ovos de chocolate na sala e as crianças tinham que os encontrar.

terça-feira, agosto 29, 2006

Como o prometido é devido...






Olá, olá!
cá estou eu de novo, como podem ver, não desapareci, não fugi, e também não emigrei, estou de volta, para cumprir com a promessa de vos contar como correram as duas ultimas aulas, que embora já tivessem sido á algum tempo não estão de modo algum esquecidas...
este blog, tem estado um pouco adormecido, mas fica a promessa que as novidades não vão faltar...
então cá vai:
Na minha penultima aula, e como não podia deixar de ser, falei da primavera, da água e do dia da árvore.
Aqui ficam algumas fotos que demonstram isso mesmo...



Construimos um relvinhas em forma de lagarta.

Plantámos também algumas flores.

Fizemos um livro sobre a água.

E construimos umas joaninhas.

E pronto, mais uma semana passou e agora sim, já só falta uma, até parece mentira...

Até à próxima!!!

terça-feira, junho 27, 2006

Acabou...

... o estágio, o curso, o tempo em lamego....
As aulas individuais terminaram mas depois ainda voltamos ao jardim para fazer uma exposição dos trabalhos das crianças e estas fizeram uma festa de despedida para nós.
O curso terminou, ja temos o certificado e já regressamos a casa depois de 4 anos em Lamego, agora ficam as saudades e muita nostalgia.


Em breve, espero termos aqui o resumo das aulas que faltam de cada uma :).

domingo, maio 07, 2006

Está quase...

no fim o estágio...
Esta semana será a minha última semana de dinamizações individuais.
Sinto um misto de alegria e de tristeza.
Depois cá estarei para contar como correu.
Estou em falta com a minha outra aula, depois falo das duas.
O curso está quase a terminar, o estágio, a monografia já foi entregue, a missa está aí e a defesa da monografia tb... Só grandes emoções...
Já sinto saudades de tudo e de todos...

sexta-feira, março 24, 2006

Mais uma semana...

Mais uma semana passou, e para a próxima já sou eu outra vez a dinamizar.
Irei continuar um pouco com a Primavera e depois passarei a falar da Páscoa, começando com os ovos, os quais são utilizados na Páscoa para se oferecer e no entanto têm outras funcionalidades, podem-se furar e pintar, pode-se partir as cascas e fazer colagens com as mesmas e dá ainda para fazer bolos. Irei fazer também grafismos tendo como base um ovo e uma sessao motora.
Depois estarei cá para contar como correu e explicar as actividades que realizei.

sábado, março 18, 2006

6ª semana:

· Contei a História: “Pânico na Quinta” numa televisão de cartolina

Interpretação da história de modo a centrar a atenção para as características dos animais da história.

Construção de uma quinta com alguns animais em forma de maqueta.

Relacionei a personagem da História com a data que se aproxima (dia do pai)

Sugeri uma actividade para descobrir quantos dias faltavam para o dia do pai e de modo a resumir o que foi feito durante a semana para no final da semana oferecer ao pai, que era género de um diário da semana no Jardim-de-Infância.


Realização da prenda para oferecer a uma menina que faz anos.

Realização da prenda para o dia do pai: moldura.

5ª semana:

Esta semana começou com uma dramatização:


História: “ A Lili está com varicela”.

de seguida:

Interpretação da história

Manuseamento por parte das crianças dos utensílios trazidos pela “médica”.




Eu, (a médica) medi, pesei, senti o bater do coração das crianças e vi o boletim de vacinas.

- As crianças interpretaram as personagens.

- Pedi sugestão ás crianças de como poderiam organizar os dados recolhidos na parte da manhã (peso, medida, etc.) encaminhando-as para a realização de um boletim de saúde escolar.

Ensinei uma canção sobre o coração.

Canção: Sou o coração


Sou o coração, sou o coração
Divertido e brincalhão bis
Sou o coração, sou o coração
Amigo mas pedinchão


Eu peço juízo, eu peço cuidado
Eu quero miminhos e ser bem tratado
Álcool e gorduras, açúcar e sal
Não me dêem disso porque me faz mal


Tum, tum, tum, bato, bato sem parar
Sou o coração sempre pronto para amar
Só peço miminhos, só peço cuidado
Vá seja bonzinhos, não me queiram ver zangado



Sugeri ás crianças que fizessem um desenho num coração para oferecerem a uma pessoa que gostassem muito.

Visita ao centro de saúde

Registo da ida ao Centro de Saúde.

Decoração de um médico, onde as crianças tinham de colar tecido na bata e pintar o restante.

Construção dos estetoscópios para levar no Carnaval.

Construção dos chapéus de enfermeiras para levar no desfile de Carnaval.

4ª semana:

Iniciei a semana com uma dramatização: História: “ O Pedro e o lixo”.
De seguida houve a interpretação da história de a que as crianças percebessem as vantagens e as características referentes á reutilização e reciclagem do lixo.

Dramatização do teatro por parte das crianças.




Realização de fantoches alusivos á história dramatizada com pacotes de leite vazios)

Visita a um ecoponto.

Power-point: “A Reciclagem”

Interpretação do power-point e perceber as vantagens bem como as características referentes á reutilização e reciclagem do lixo.

Jogo de correspondência dos ecopontos: as crianças perante três ecopontos em cartolina tinham de associar o lixo correspondente.



Construção de um ecoponto para a sala

Ensino de uma canção sobre o lixo, reciclagem e reutilização com diferentes padrões de entoação e ritmo ao mesmo tempo que esta é mimada.
Acompanhamento da mesma com instrumentos musicais e diferentes tons de vozes.

Canção:

É nas mãos das crianças
Que saem coisas sem fim
Tudo aquilo que fazemos
Decorava um jardim

P`ro ambiente proteger
Vamos ter que nos juntar
Temos muito que fazer
Para o mundo renovar

Não podemos poluir
Não deitar lixo p`ro chão
Não deitar lixo p`ro mar e
Aprender a reciclar

Vamos por nos ecopontos
O papel no papelão
O plástico no amarelinho
E o vidro no vidrão

(Música: O ratinho foi ao baile)

Dramatização da canção.

Registo da canção e as crianças desenham imagens correspondentes a algumas palavras da canção.

Execução de papel reciclado.

Construção de diferentes instrumentos musicais com material reciclado

Construção de tacinhas de cheiro com produtos naturais (folhas de eucalipto, café, canela, sabonete raspado, etc.).

3ª semana

Comecei a semana com um teatro de fantoches em que a história era:


História: “A formiga trabalhadora”

Narrador: Certa manhã, o céu ficou coberto de nuvens e delas começaram a cair umas bolinhas brancas, era neve!
As montanhas ficaram brancas, estava tanto frio que nem se podia andar na rua.
O vento corria que nem um louco, vergando as árvores nuas, já não tinham as folhinhas para as proteger do frio!
A formiguinha trabalhadora, como habitual, foi buscar uma semente para o seu celeiro de Inverno, mas hoje foi apanhada pelo nevão e o seu pezinho ficou preso na neve. Muito aflita ela pediu á neve:
Formiga: Ó neve, tu és tão forte que o meu pé prende!
Neve: Mais forte que eu é o sol que me derrete!
Narrador: Respondeu a neve!
- Disse a formiga, virando-se para o sol:
Formiga: Óh sol, tu és tão forte que derretes a neve, que o meu pé prende!
Sol: Mais forte do que eu é a nuvem que me tapa!
Narrador: Respondeu o sol.
Formiga: Óh nuvem, tu és tão forte que tapas o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Nuvem: Mais forte que eu é o vento eu me empurra!
Formiga: Óh vento, tu és tão forte que empurras a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Vento: Mais forte que eu é a parede que não me deixa passar!
Formiga: Óh parede, tu és tão forte que não deixas passar o vento, que empurra a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Parede: Mais forte do que eu é o rato que me fura!
Formiga: Óh rato, tu és tão forte que furas a parede, que não deixa passar o vento, que empurra a nuvem que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Rato: Mais forte que eu é o gato que me come!
Formiga: Óh gato, tu és tão forte que comes o rato, que fura a parede, que não deixa passar o vento, que empurra a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve, que o meu pé prende!
Gato: Mais forte que eu é a mulher que me trata!
Formiga: Óh mulher, tu és tão forte, que tratas do gato, que come o rato, que fura a parede, que não deixa passar o vento, que empurra a nuvem, que tapa o sol, que derrete a neve que o meu pé prende!
Narrador: Então a mulher retirou cuidadosamente a patinha da formiga da neve e, assim ela pôde ir para casa!


De seguida, a história foi interpretada e foram realçadas as características referentes ao Inverno.

Foi construído um placar como forma de resumo da história, onde as crianças iam colocar as imagens no local correcto.

Foi construída a arvore referente ao Inverno, as crianças colam bolinhas de papel crepe e pintam a árvore.


Ensinei ainda uma canção sobre o Inverno:


Canção: “Velho”



Velho, velho, velho, chegou o Inverno
Refrão
(bis) Velho, velho, velho, chegou o Inverno


Vem de sobretudo
Vem de cachecol
O chão onde passa
Parece um lençol


Com medo do frio
Encosta-se a nós
Bebe café quente
Senão perde a voz

Esqueceu as luvas
Perto do fogão
Quando as procurou
Roubara-as o cão

De seguida, procedi á dramatização da canção e posteriormente pedi ás crianças para o fazerem.

Levei um jogo de pares sobre o Inverno

E findei a semana com uma actividade em que as crinças tinham de seleccionar apenas imagens de Inverno para posteriormente as recortar e colar numa folha.

2ª semana

Na segunda semana:


Comecei com um teatro em sombras chinesas, e a história foi esta:

História: “ A família de Chineses”


Narrador: Era uma vez uma família de chineses que veio da China para Portugal à procura de emprego, porque lá na sua terra não conseguiam arranjar.
A família Champim instalou-se então em Lamego e resolveu abrir uma loja.
O Famim tem 5 anos e gostava muito de ir á escola, a sua mãe resolveu então pedir á professora para o seu filho ficar aqui no Jardim-de-Infância de Cambres.

Mãe: Bom dia Sra Professora, o meu filho gostava de vir aqui para o Jardim-de-Infância, será que ele podia?

Professora: Olhe, e que tal se nós perguntarmos aos meninos também?

Meninos: Eh eh eh, nós gostávamos muito ...

Narrador: A mãe foi para casa e o menino ficou na escola.

Menino: Olha Famim, conta-nos como vocês vivem lá na China!

Famim: Nós comemos com pauzinhos, temos um chapéu assim..., não damos beijinhos e andamos devagarinho.

Narrador: O Famim gostou muito do Jardim-de-Infância e dos amigos novos que fez. O tampo passou tão rápido que logo chegou a hora do seu pai o vir buscar

De seguida, as crianças construíram também as sombras chinesas referentes á história


As crianças também construiram chapéus de chineses.

Ensinei uma canção sobre os chineses com diferentes padrões de entoação e ritmo e foi esta:

Canção: “ Tchim Tchim Tchim os Chinesinhos”


Tchim Tchim Tchim os chinesinhos
Andam lá na China
Sempre aos passinhos

Tchim Tchim Tchim os chinesinhos
Não comem com garfos
Mas sim com pauzinhos

Tchim Tchim Tchim os chinesinhos
Lá se cumprimentam
Mas sem dar beijinhos



Por fim, reuni as crianças, efectuei uma pintura facial de acordo com a cultura chinesa e as crianças colocaram os chapéus que fizeram no dia anterior foi utilizada a canção durante a qual se fizeram gestos e foram efectuados alguns jogos de movimento

sexta-feira, março 17, 2006

1ª semana:

Na minha primeira semana:
comecei com a construção de um cartaz com frases que as crianças iam dizendo sobre o que se deve ou não fazer na sala.



Levei algumas imagens sobre o que se deve ou não fazer para posterior pintura das mesmas com digitinta e colagem na cartolina verde/vermelha conforme as imagens.




Disfarcei-me de bruxinha e fiz uma surpresa ás crianças, uma vez tratar-se do dia das bruxas. Falei um pouco da personagem que era um pouco desastrada e convidei-as a experimentar o chapéu, de seguida propus a realização de uma pequena bruxinha como a que levei no seu saco.


Ensinei uma canção sobre as regras:

“ Nós somos limpos”


Nós somos limpos
Nós somos arrumados
Lavamos os dentinhos
E somos sossegados


Andamos devagar
E falamos baixinho
Fazemos os trabalhos
Com muito juizinho

As crianças fizeram ainda alguns jogos de expressão motora na rua.

sábado, março 11, 2006

Projecto Esperança...

Já devem ter reparado que temos no lado direito tipo uma televisão em que diz desapareceu e aparecem algumas crianças que se encontram desaparecidas. Trata-se do Projecto Esperança.

O Projecto Esperança desenvolveu cartões, a tal "televisão", que podem ser colocados em sites pessoais e blogs.

Os Traquinas de Cambres quiseram dar o seu pequeno contributo.

"A internet é um poderoso recurso no combate a este tipo de problemas. Juntos poderemos levar estes rostos a milhares de pessoas.
Não permita que estas crianças caiam no esquecimento. Colabore!" in Projecto Esperança

Mais uma semana!

É verdade, mais uma semana passou! os dias que passamos no jardim parece que voam.
Cada vez que me lembro que ja só me faltam duas aulas individuais, até penso que é mentira, parece que ainda há tão pouco tempo estavamos todas nervosas porque iamos dar a primeira aula, e já passou tanto tempo.
É bom ver a nossa evolução, o nosso à vontade com as crianças, a nossa capacidade de improviso.
Não tarda muito lá estou eu outra vez, possivelmente a falar de Primavera, do dia da Árvore, da Água...
Depois estarei aqui para partilhar convosco, tudo o que será feito!!

sexta-feira, março 10, 2006

Olha o polícia...

E chegou a minha sexta aula, onde falei do policia e introduzi o novo quadro das presenças.
Começei por dizer que me tinha disfarçado de policia no Carnaval e levei um novo amiguinho para a sala, um policia, mas ele não foi sozinho levou o novo quadro das presenças, porque os meninos já estão mais crescidos e o outro quadro já está um pouco estragado.

As crianças baptizaram o polícia de Cristiano após votação, e votaram também como o iam decorar. Expliquei como ia funcionar o novo quadro das presenças.
Enquanto explicava o quadro perguntei às crianças se reconheciam os nomes que mostrava, depois pedi para as crianças verem que nomes tinham por exemplo a letra D.
Com o novo quadro das presenças as crianças vão fazer iniciação à escrita.

Depois as crianças fizeram alguns utensilios do policia, tais como as divisas, crachás e chapéus.
Por fim, visitámos a Polícia de Lamego e depois fizemos uma gincana em que as crianças tinham que por os utensilios do policia e depois acertar nuns "ladrões", isto foi feito por equipas de forma a criar o espirito de competição e de entreajuda.

Ora bate padeirinha...

A minha quinta dinamização foi a dos 5 dias, estava assustada, cinco dias com os traquinas, como iria ser? Ainda por cima era a última das dinamizações de 5 dias, o cansaço já era muito, mas os olhinhos dos traquinas fazem esquecer tudo.
Nesta semana abordei a profissão o padeiro, mas antes de chegar à profissão do padeiro falei do pão, do processo desde que se semeia até que se come.


Começei por contar a história "Galinha Ruiva" através de uma "televisão", depois as crianças pintaram algumas imagens da história e tiveram que as ordenar pela ordem que apareciam na história.


Depois, através de slides apresentei a sequência do processo do pão, desde que é semeado até que está pronto para se comer. Após, a apresentação de slides mostrei um copo de iogurte às crianças e perguntei o que podíamos fazer com ele, depois de dadas algumas pistas estas conseguiram chegar ao que era pretendido, semear o trigo. As crianças decoraram o copo de iogurte, depois com ajuda colocaram terra, semearam o trigo e regaram.
Um dos nossos traquinas fez anos e as outras crianças fizeram um desenho para lhe oferecer.


Posto isto, mostrei um rolo de papel higiénico e perguntei o que se podia fazer com ele, ao que as crianças responderam prontamente que se podia fazer um moinho, mostrei de novo o moinho da história para que as crianças pudessem visualizar melhor como era um.

Aproveitei o espaço exterior e fiz uma gincana, onde as crianças tinham que fazer os mesmos passos que a Galinha Ruiva fez na história, semear, colher, levar ao moinho e amassar o pão, as crianças fizeram o percurso com adereços entre os quais uma crista.


Foi realizada uma visita à padaria de Cambres, onde a senhora explicou o processo do pão na mesma. Depois aproveitei o recreio para ensinar a lengalenga “Pico, pico”.
Recebemos no jardim-de-infância o padeiro, pai de uma das crianças, que explicou às crianças como se fazia o pão, desde os ingredientes até como se molda o pão, fez também uma bôla. Como forma de agradecimento ao padeiro ter ido ao jardim, foi decidido com as crianças fazer-se uns desenhos e oferecer-se.

Posto isto, voltamos a fazer a massa de pão, uma vez que as crianças de manhã não tinham tido oportunidade de mexer e era notória a vontade das mesmas, foi feita a massa e as crianças depois levaram a mesma para casa.

Ensinei a canção “Era uma vez um moinho”, a qual foi explorada de diversas formas, também com instrumentos musicais, e foi dramatizada, umas crianças faziam de moinho e outra fazia de moleiro.


Foi feito um concurso de canções com as crianças, depois ensinei no exterior a canção “Ora bate padeirinha”, foi feita uma roda, e também foi feita uma dança com a canção.
De seguida, voltamos para a sala e as crianças fizeram um cata-vento.

E eu...

Como já devem ter reparado eu fui a última a dar aulas...
queria que me desculpassem mas tou um bocadito atrapalhada porque sou eu a dar aula também esta semana que se aproxima e estou um bocadito atrapalhada...
mas prometo que assim que puder eu coloco aqui as actividades que realizei!
Obrigada a todos os que nos visitam :)

sábado, março 04, 2006

Boas Maneiras e Higiene Oral

Na minha quarta semana de dinamização individual, abordei as boas maneiras à mesa e a higiene oral.

Nas boas maneiras, as crianças tinham que uma encenação do que deviam fazer sempre, antes, durante e após as refeições.


Mostrei vários alimentos reais e perguntei os que faziam bem e os que faziam mal, relembrando a pirâmide dos alimentos dada anteriormente, depois das crianças terem feito o conjunto dos que fazem bem e dos que fazem mal, fizeram um jogo com dois dentes, um com cárie e outro são, aqui expliquei o que era uma cárie, neste jogo as crianças tinham que colocar imagens de alimentos no lugar correcto.


Depois deste jogo, foram mostrados outros dois dentes às crianças sem nada, as crianças tiveram que desenhar uma cárie num dente e procurar em revistas, colar massinhas nos dois dentes, conforme o que faz mal e o que faz bem.

Ensinei uma canção sobre a Higiene Oral, numa canção conhecida juntei uma parte de outra canção e resultou bem:


Lavar os dentes


Um copo com água
Uma escova e pasta
Pra lavar os dentes
É o que me basta

Esfrego, esfrego, esfrego
Muito esfregadinho
Com os dentes lavados
Que rico cheirinho

Eu lavo os dentes
Antes de deitar
Escova, escovinha
Põe-nos a brilhar.

Decoraram um copo e escova de dentes.


Apareci no jardim vestida de dentista, a dentista foi ao jardim ver os dentes dos meninos, contou uma história, perguntou se eles queriam ir a um colega seu dentista e que para isso tinham que fazer uma identificação. Depois tirei o disfarce e deixei as crianças explorá-lo.

Fomos ao dentista a Lamego, quando voltámos ao jardim fizemos o registo da visita, escrevi um folheto para os pais a dizer se a criança tinha deixado ver os dentes e se tinha cáries. Fizeram um jogo de motora, onde percorram o que fizeram durante a semana, desde as boas maneiras até ao dentista.

As crianças levaram um folheto para os pais sobre a Higiene Oral no qual fizeram um desenho.

sexta-feira, março 03, 2006

É Natal, é natal

A minha terceira dinamização foi sobre o Natal.
As crianças inventaram uma história sobre um Pinheirinho e o resultado final foi este:




Era uma vez um pinheirinho…


Era uma vez um pinheiro chamado Verdinho, ele vivia num pinhal onde os pássaros cantavam todo o dia, no entanto o Verdinho sentia-se triste porque ninguém o levava para casa.
Um dia veio a mãe da Adriana e levou-o para casa e pô-lo ao pé da vaca Carlota.
A vaca Carlota disse ao pinheiro:
- Sabes porque é que és pequenino?
- Porque não bebeste leitinho!
- Oh! Mas nós lá no pinhal não temos leitinho!
A Adriana ia regar o pinheiro com água.
Como a mãe da Adriana sabia que era ela que o regava, fez-lhe surpresa e levou-o para casa, porque estava a chegar o Natal.
E começou a enfeitá-lo com bolinhas, estrelinhas, bonecos, pais natais, luzinhas, sininhos, fitas.
Mas ela como já tinha um grande pinheiro na sala, levou-o para a escola e ofereceu-o aos meninos da sala número dois, eles ficaram todos contentes.
Os meninos quando viram o pinheirinho, foram agradecer à Adriana.
O pinheirinho era torto porque o vento no pinhal era muito mas mesmo assim os meninos gostavam muito dele.
E todos os dias iam ver como ele estava, davam-lhe beijinhos, e encontraram uma “pata” para que o pinheiro não caísse.


Tratámos da decoração da nossa árvore de Natal, pintando bolinhas, sininhos, anjos, estrelas. Ficou muito colorida o nosso pinheiro. Para além da árvore, continuámos a decorar a nossa sala, com uns mobiles de estrelas e pais natais, uma rena e uma coroa de Natal para pôr na nossa porta.

Ensinei uma canção de Natal:


É Natal! É Natal!



É Natal, é Natal, tudo bate o pé
Vamos pôr o sapatinho, lá na chaminé.

Uma boneca p’ra menina, p’ro menino um avião
Um livro para o pai e um osso para o cão
Um perfume para a mãe, alpista para o pardal
Todos recebem prendas porque é dia de Natal.





Fizemos também um postal de boas festas e a prenda para os pais, umas velas.